Esclerose Múltipla

| 10 de maio de 2011 | 0 Comentário

A Esclerose Múltipla atinge o Sistema Nervoso Central causando a desmielinização (Perda da mielina que envolve os nervos) no crânio e medula produzindo sintomas e sinais neurológicos variados e múltiplos.

As mulheres são mais suscetíveis a ser afetadas pela Esclerose Múltipla do que os homens. Não existe uma causa conhecida para se contrair essa doença mas estuda-se que a enfermidade pode ser por anomalias imunológicas e que são mais comuns em climas temperados do que em climas tropicais.

O paciente que tem Esclerose Múltipla sofre de problemas visuais, de força, equilíbrio, fraqueza, dormência nas extremidades, quando a doença se predomina na medula são notadas manifestações motoras, sensitivas e esfincterianas mas raramente existindo dor.

A doença evolui de modo imprevisível podendo ocorrer longos períodos entre os episódios, mas que tendem a diminuir com progressão da doença se tornando o paciente rapidamente incapacitado.

O Diagnostico da doença é através de um  neurologista que realiza exames como: Ressonância Magnética, liquido cefalorraquidiano chegando a um diagnostico definitivo sem a necessidade de um exame anátomo-patológico.

O tratamento da Esclerose Múltipla é feito através de antivirais como Amantadina, Aciclovir, Interferon, Imunossupressores, ACTH, Corticóides que amenizam os sintomas da doença nunca levando a sua cura. Recomenda-se a fisioterapia e psicoterapia e conjunto com o tratamento.

Tags:

Category: Saúde

   
 

Envie um comentário


3 + um =